• Operação Resgate Brasil

ONG E PANDEMIA



Desde 2019, nosso planeta passou a conhecer novas formas de se organizar, de se cuidar e de viver e/ou sobreviver coletivamente. De Norte a Sul, Oriente a Ocidente, tanto o uso de máscaras, álcool em gel, quanto os distanciamentos e isolamentos passaram a ser cotidiano e habitual. No entanto, ainda que existam semelhanças de comportamento em todo o mundo, a reação à situação pandêmica não se deu de forma semelhante em todos os territórios, bem como os efeitos.

No Brasil, já contabilizamos mais de 200 mil mortes causadas pela Pandemia de COVID-19, e estamos chegando a quase 9 milhões de casos confirmados de acordo com o consórcio de veículos de imprensa. Somado a isso, a pandemia vem causando impactos ordem econômica, política, social, cultural e histórico. Nos deparamos com o aumento do desemprego, com a volta do Brasil ao mapa da fome, com a falta de leitos nos hospitais, com a ameaça de privatização do Sistema Único de Saúde (SUS).


Sentimos esses macro efeitos sociais repercutir, por consequência, em nosso território estadual e municipal. E diante desse cenário, passamos por um momento de reorganização das atividades da ONG. Iniciamos nossas reflexões pondo como elementos chave as vulnerabilidades já enfrentadas pelo território e nosso compromisso com as famílias: como cuidar e servir às famílias nesse momento de fragilidade?

Nessa primeira fase, fizemos entrega de cestas básicas, de frutas, legumes e verduras, de kits de higiene pessoal e entrega de merenda e de marmitas para as famílias do Projeto.

Durante as entregas, construímos o acompanhamento das famílias conforme o que nos ia sendo apresentado.

Nos diálogos, responsáveis pelas crianças apresentavam a situação familiar e as dificuldades enfrentadas no cotidiano.




8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo