• Operação Resgate Brasil

Um dia diferente

Atualizado: Ago 17



Nosso mês foi marcado por levar as crianças para conhecer algumas das mãos que colaboram com a nossa organização. Em nosso passeio mais recente, visitamos alguns de nossos parceiros. Nessa visita foram conosco três de nossos educandos. Visitamos o Serviço Social do Comércio, o Sesc, e a fábrica de confecção da Daysrio , e também ao Centro Universitário de Patos, a UNIFIP, uma parceria desde 2017, através de Dra. Paula Christianne G. Gouveia Souto. Nosso vínculo sempre reforçou a relação de mão dupla existente entre organizações que acreditam no futuro das crianças e dos jovens de nosso país: a imersão interdisciplinar faz com que estágios, consultas e outros atendimentos e serviços prestados pelos estudantes da UNIFIP se transformem em espaços de assistência e acompanhamento a crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social e econômica.



Nossas crianças ficaram encantadas tanto com a estrutura física dos locais quanto com a generosidade e acolhimento dos nossos colaboradores. Para elas, frequentar esses

espaços não é comum ou previamente pensado como um futuro a ser esperado: espaços institucionais e de liderança não são apresentados a esses jovens como possibilidades reais de horizonte.

A proposta de visita nos gerou um impulso de seguir com esses passeios. Por conta da pandemia de COVID-19 e também por dificuldades de recursos, esses passeios ficarão reduzidos a 3 ou 4 crianças (10/15 crianças passeando ao mês). Nossa ideia é fazer passeios pela cidade, conversar sobre a história (promover apropriação do território) e ter um momento divertido de experimentação desses espaços.


Quando saímos das visitas, fomos ao Patos Shopping. Nossas crianças não tinham conhecido o local, se quer tinham visto de perto uma escada rolante.

Priorizamos a ida ao shopping para que elas conhecessem um dos lugares de nossa cidade. Sabemos que o direito a cidade envolve a possibilidade de acesso aos locais de seu território. Seja com relação as praças, aos pontos turísticos, a cidade não está pensada para o deslocamento urbano acessível para as pessoas baixa renda. Para nós, esse foi um momento de mostrar esses outros espaços urbanos de Patos e temos o desafio de apresentar outros locais que compõem a memória da cidade.

A proposta de visita nos gerou um impulso de seguir com esses passeios. Por conta da pandemia de COVID-19 e também por dificuldades de recursos, esses passeios ficarão reduzidos a 3 ou 4 crianças (10/15 crianças passeando ao mês). Nossa ideia é fazer passeios pela cidade, conversar sobre a história (promover apropriação do território) e ter um momento divertido de experimentação desses espaços.





Temos por objetivo proporcionar às nossas crianças novas perspectivas e acrescentar a caminhada delas, esperança, não de maneira fantasiosa, mágica ou meritocrática. Sabemos que nossa sociedade tem consigo um conjunto de desigualdades sociais que dificultam a caminhada das pessoas mais humildes.

Nossas crianças precisam sonhar, ter as ferramentas para poder construir esses sonhos (e nós precisamos fornecer e ser essas ferramentas), acreditar que é possível e caminhar.



A realidade é dura e desafiadora, que nos falta assistência por parte dos órgãos estatais, nos falta justiça social, mas reforçamos que juntas e juntos podemos mais.


Podemos caminhar, construir esforços, estudar, errar e aprender, sem nunca desistir. O caminho sempre será fruto da coletividade, dos esforços reunidos e da paixão pela vida e pela mudança de si e do mundo.


Nossa gratidão a você que se dedica a acolher nossos jovens e ajudar a construir seus sonhos.


23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo