Buscar

Existe uma frase que ecoa fortemente em nossos pensamentos: a cabeça pensa onde os pés pisam. Por si só, a frase pode ser conclusiva, sem deixar brechas para interpretações variadas. Quando vivemos uma realidade, pensamos nesta realidade e compreendemos o que de bom há nesta realidade.

Quando nós, Organização Social, nos colocamos para atuar de forma integrada com as famílias, comunidade e território, conseguimos perceber nossa primeira tarefa: nossos muros não podem localizar nossa atuação, bem como não podem ser o que nos limita. Só se ajuda, mutuamente, algo, quando se conhece e se convive com esse algo. E para nós, a regra não é diferente: se temos como objetivo transformar a realidade local e potencializar transformações que superem nosso território, precisamos fazer parte, integralmente, desse território.

Desde nossa origem a conversa porta a porta, os cafés na casa dos vizinhos e as reuniões de bairro sempre fizeram parte da realidade. Uma vez que a comunidade se sente abraçada por nós, ela se sente parte de uma Organização. Para que as famílias sintam confiança em trazer as suas crianças para nossa instalação, elas precisam sentir confiança em nós, que construímos o corpo docente, o corpo administrativo, o corpo voluntário. E assim como é tradição do povo brasileiro, nossa iniciativa central foi a de construir uma rotina de visitação aos lares.

Em nossas visitas, conversamos sobre a realidade dos lares da comunidade, o que falta (tanto de alimentação quanto de bens e serviços), conversamos sobre como estão as crianças (sobre a rotina e desempenho escolar), sobre trabalho e renda, compartilhamos nossas agendas coletivas na Organização, entre outros.


Em cada rua que entramos, somos bem recebidos: isso é o comportamento acolhedor do povo brasileiro. E tiramos uma grande lição a cada caminhada, a de que ajudar não é de quem tem para quem não tem, todos ganhamos. Ganhamos abraços, sorrisos, orações e bons cafés e histórias!





As festas juninas são marcos da história nordestina, do interior ao litoral, pessoas esperam e se preparam para comemorar o mês de junho. Também conhecida como festa da colheita, o São João, São Pedro e Santo Antônio são marcados pela presença de muitos alimentos provenientes do milho. É nessa época que agricultores colhem esse vegetal que por muito tempo foi (e continua sendo) um grande sustento nutricional da região.


Celebrar as festas juninas não se justifica apenas pela alegria das danças, das comidas e das cores que são destacadas, mas pela importância de tornar viva a memória de um povo que resistiu e segue resistindo à fome, à seca, com muita bravura, alegria e luta. Comemorar é uma maneira de tornar a tradição comum a todos e reforçar a necessidade de uma cultura fortalecida que represente o território, sobretudo o território nordestino.

A importância da celebração das festas juninas também chega até a educação de crianças e adolescentes, visto que abriga a potência de integrar as crianças às suas comunidades: crianças que participam das atividades juninas locais, desenvolve integração e reconhecimento pelo território que vive. Quando as crianças e adolescentes participam da confecção de materiais decorativos, da organização das festas, do preparo dos alimentos, elas ampliam o olhar sobre as manifestações e diferenças regionais juninas, já que dentro do próprio nordeste há diversidade de comemoração. Outro ponto importante se refere às músicas e danças juninas: ter contato com essas manifestações artísticas pode despertar as crianças para o gosto pela arte. De acordo com o texto do blog.bigcerebro, o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Simbolismo, Infância e Desenvolvimento (Nepsid) afirma que, toda criança passa por processos de desenvolvimento universais, mas o que elas aprendem a partir da influência comunitária e local é o que irá tornar cada uma delas únicas. Nosso Arraiá não poderia ser diferente, trouxemos a alegria e a memória junina para celebração.

Nossas crianças foram com trajes típicos, tivemos muitas brincadeiras, como cabo de guerra. A comida foi a mais tradicional: munguzá, canjica, pamonha… tivemos nossa quadrilha acompanhada por um trio de forró que só tocou as melhores músicas. Nossas crianças se divertiram, se alimentaram, dançaram. Trouxemos as cores, os sons, e a alegria junina e do povo nordestino para nossa celebração, reforçando o compromisso com a cultura e a cidadania.

Nosso Arraiá não poderia ser diferente, trouxemos a alegria e a memória junina para celebração.

Recentemente o mundo está sendo impactado por conflitos políticos e armados ocorridos entre a Rússia e a Ucrânia. Essa questão, de ordem internacional, afeta diversos povos. Ficam em risco a segurança, os empregos, a moradia, alimentação e sobretudo a vida. Com relação ao conflito armado, já se passaram mais de 07 dias.

No Brasil, o Itamaraty, que é o Ministério das Relações Exteriores, se colocou de maneira contrária a auxiliar a retirada dos milhares de brasileiros que residem na Ucrânia. E como resposta, brasileiros de outros países da Ásia e Europa se juntaram para fornecer ajuda, alimento e mantimentos nas fronteiras com a Ucrânia.

Nós, Operação Resgate, temos o compromisso com a solidariedade universal e nesse conflito, não faríamos diferente. Estamos nos colocando na linha de frente das ações solidárias para com o povo da Ucrânia. Neste momento, o fundador da nossa organização, junto de outros membros, se encontram nas fronteiras da Ucrânia fornecendo esse apoio tão necessário. E sabemos que podemos fazer mais, por isso estamos aqui reforçando essa ação solidária.

Conflitos armados sempre atingem os principais não responsáveis: os (as) trabalhadoras e trabalhadores, as crianças, os jovens. E nós queremos poder contribuir para que a vida desses tantos cidadãos fique assegurada. Queremos a sua ajuda para que nós, Operação Resgate, possamos alargar o tamanho de nossas forças e de nossos braços com um objetivo único: ajudar os refugiados através da solidariedade. Estamos com uma campanha de arrecadação financeira e você pode contribuir:

BANCO BRADESCO: Ag.: 1563 Conta: 15.718-0



Venha fazer parte dessa história e ajudar os que necessitam de urgência nesse momento!

Estamos atualizando o website